Melanoma

Home / Melanoma

O que é?
É um tipo de câncer que se origina nos melanócitos (células que produzem o pigmento melanina que é responsável pela cor da pele).  Ocorrem principalmente na pele (95%), mas podem acometer outras regiões do corpo como os olhos, esôfago, reto, vagina e outros.

O que causa?
A exposição à luz ultravioleta é o principal fator responsável pelo desenvolvimento do melanoma. Outros fatores que contribuem para aumentar o risco de surgimento da doença são a predisposição genética, pacientes que possuem a síndrome do nevo displásico (doença caracterizada por pequenas pintas e verrugas disformes e em vários tons), pessoas que possuem a doença genética xerodermapigmentoso, e indivíduos que precisam se submeter a um tratamento com radiação.

É grave?
O melanoma, quando diagnosticado precocemente, pode ser curado. A gravidade da lesão está associada ao grau de invasão em profundidade do tumor. Se não tratado precocemente, as consequências podem ser graves.

Essa doença pode se disseminar pelo corpo?
Sim. Quanto mais profunda a lesão maior a gravidade do melanoma, pois existe um maior risco de produzir metástases (lesões que migram para outras partes do corpo a partir da lesão primária). As metástases são mais frequentes nos primeiros dois anos, mas podem voltar mesmo após 10 anos de tratamento, e podem ocorrer em qualquer órgão, sendo os linfonodos os primeiros acometidos. É importante o acompanhamento após o tratamento da lesão inicial.

Como se faz o diagnóstico?
O melanoma cutâneo primário pode ser identificado pelo aspecto das pintas, resumido pelo método ABCD: Assimetria, Bordos irregulares, variação de Cores e Diâmetro maior que 6 mm. Há uma grande variação de apresentação do melanoma, desde pintas pretas, sombras marrons, pintas vermelhas, sem pigmento, até sinais que surgem na cor da pele. Outro fator importante que pode ajudar no diagnóstico da lesão precoce é a alteração da lesão com o tempo e o desenvolvimento de nova lesão.  O uso do dermatoscópio auxilia no diagnóstico das lesões precocemente.

Como deve ser tratado?
O tratamento do melanoma nos estágios iniciais é realizado por meio de cirurgia.  Recomenda-se a retirada da lesão com margens de segurança para reduzir o risco de a doença retornar ao local. Existem outras formas de tratamento como imunoterapia, radioterapia e quimioterapia, sendo as últimas indicadas para tratamento do melanoma em estágios mais avançados.

O tratamento pode deixar sequelas?
Se diagnosticado precocemente, o tratamento do melanoma deixa como sequela apenas uma cicatriz.

O que posso fazer para prevenir a doença?
A prevenção e o diagnóstico precoce do melanoma podem produzir um grande impacto na redução da morbidade e mortalidade da doença. Uma das medidas de prevenção é a proteção solar, com o uso de protetor, roupas apropriadas, e não exposição ao sol das 11h às 15h. Outras medidas são o autoexame para identificar o aspecto das pintas pelo método ABCD, e, em pacientes com a síndrome do nevo displásico, deve ser feito um rastreio, a cada três meses, por um médico dermatologista. Outra ferramenta utilizada é a dermatoscopia, também conhecida como microscopia epiluminescente, também realizada por um dermatologista.