A tatuagem aumenta o risco de ter melanoma?

Home / carcinoma de células de merkel / A tatuagem aumenta o risco de ter melanoma?
A tatuagem aumenta o risco de ter melanoma?

A tatuagem é uma prática bastante difundida em todo o mundo, apesar do trauma e dos pigmentos que são utilizados na sua confecção.  Muitas vezes, ela representa um sonho; porém, em outros casos, ela se torna um pesadelo.  Explicarei mais na frente…

Muitas pessoas me perguntam se a tatuagem pode causar o Melanoma (tipo de câncer de pele, pouco frequente, representam 4% de todos os outros tipos).  Felizmente, a resposta é NÃO.  Até a presente data, não existe evidência científica que suporte esta hipótese.  Então você pesa: “ Que bom!! Posso ficar tranquilo e esquecer dessa polêmica, amanhã irei ao meu Tatoo preferido para fazer uma nova.”  Ok, você pode ir, mas fique atenta para o local onde você deseja colocar uma tatuagem.  Muitas pessoas, são lotadas de pintas pretas (Nevos) e a presença delas representa um risco de ter melanoma.  Imagina você o que acontece.  Você faz uma tatuagem para esconder ou disfarçar uma pinta dessas que você não gosta e aí começa a se desenvolver naquela pinta um melanoma e como ela está coberta por uma tatuagem a probabilidade do reconhecimento precoce do melanoma ficará prejudicada, e é aí, nesse momento, que a tatuagem vira um pesadelo.  O melanoma não será reconhecido precocemente, e quanto mais tarde o diagnóstico, maior a espessura do tumor e pior o prognóstico.

Outro cenário que acontece frequentemente são os pacientes portadores de melanoma que já foram operados, me perguntarem:

“ Eu posso fazer uma tatuagem, nesse local da cirurgia?”

A resposta é sempre “NÃO”.

Ahhh porquê?

Simples. Lembra que informei que precisamos fazer o diagnóstico precoce do melanoma.  Quanto mais cedo, maior será a chance de cura.  Lembra também que informei que a presença da tatuagem pode esconder o melanoma.  Então, por isso não podemos transformar um sonho em pesadelo.

Na dúvida, procure um médico especialista em câncer de pele.  Um simples exame físico, pode salvar sua vida.

Dr. Luiz Fernando Nunes